2 de fev de 2013

Tomar Coca-Cola com Você

Oi fofas, outro dia eu fiz uma resenha sobre um filme lindo que eu assisti que se chama A Fera. Bom, uma das coisas que mais me chamou a atenção é uma poesia que é lida durante o filme, mas como lá só passa a metade eu tive a curiosidade de procura-la na internet e assim pude ler ela inteira. 

Ela foi escrita por Frank O'Hara (1926 - 1966), um poeta que nasceu em Baltimore, apesar dele escrever poesias quase todos os dias quando adulto, sua obra se tornou popular somente depois da sua morte. Sim, Rakelli D também é cultura minha gente.



Tomar uma coca-cola com você é ainda melhor do que uma viagem a San Sebastian, Irun, Hendaye, Biarritz, Bayonne ou que ficar enjoado na Travessera de Gracia em Barcelona.  Em parte porquê nessa camisa laranja você parece um São Sebastião melhor e mais feliz.  Em parte porque eu gosto tanto de você. Em parte porquê você gosta tanto de iogurte. Em parte por causa das tulipas laranja fluorescente contra a casca branca das árvores.  Em parte pelo segredo que nos vem ao sorriso perto de gente e de estatuária.
  
É difícil quando estou com você acreditar que existe alguma coisa tão parada, tão solene, tão desagradável e definitiva como estatuária. Quando bem na frente delas na luz quente de Nova York, às quatro da tarde, nós estamos indo e vindo de um lado para o outro como a árvore, respirando pelos olhos de seus nós e a exposição de retratos parece não ter nenhum rosto, só tinta de repente você se surpreende que alguém tenha se dado ao trabalho de pintá-los.
  
Olho pra você e prefiro de longe olhar para você do que para todos os retratos do mundo, exceto talvez às vezes o Cavaleiro Polonês, que de qualquer maneira está noFrick aonde, graças a Deus, você nunca foi de modo que eu posso ir junto com você a primeira vez. E isso de você se mover tão bonito mais ou menos dá conta do futurismo, assim como em casa nunca penso no Nu Descendo a Escada ou num ensaio em algum desenho de Leonardo ou Michelangelo que costumava me deslumbrar e o que adianta aos Impressionistas tanta pesquisa.  Quando eles nunca encontraram a pessoa certa para ficar perto de uma árvore quando o sol baixava ou por sinal Marino Marini que não escolheu o cavaleiro tão bem quanto o cavalo.                  

Acho que eles todos deixaram de ter uma experiência maravilhosa que eu não vou desperdiçar por isso estou te contando.

Eu gosto de muitos textos, sempre leio coisas legais por ai, então quando eu me apaixonar por mais algum texto eu posto aqui. 

PS. Loginho aqui embaixo você encontra a opção de comentar pelo Facebook, é bem mais fácil, então quem quiser já sabe, né? 

R.

2 comentários :

  1. gostei desse poema, tbm vi no filme

    ResponderExcluir
  2. Nunca assisti o filme, mas agora fiquei curiosa...o poema é lindo!

    ResponderExcluir